Fossa séptica pré-moldada: o que é, para que serve e quanto custa

A fossa séptica desempenha uma função importante em diversas residências e localidades. O tratamento de esgoto é um dos mais importantes fatores para garantir a qualidade de vida das pessoas habitando um determinado ambiente. Em zonas rurais ou periferias afastadas de grandes centros, é possível encontrar residências que ainda não possuem tratamento de esgoto canalizado.

Para essas áreas, é mais do que fundamental a criação de um sistema de tratamento efetivo e que traga os benefícios necessários para que os moradores tenham o que precisam para garantir não só a saúde dos indivíduos, mas também a não poluição o meio ambiente (algo que também está diretamente ligado com a saúde dos que estão no ambiente).

Existem diversos tipos de fossa séptica, sendo a mais comum a fossa negra, feita de alvenaria e coberta com cimento. Além dela, existe também a fossa biodigestora, que é capaz de devolver a água dos efluentes sem causar nenhum risco ao meio ambiente, e, é claro, a fossa pré-moldada.

Conheça um pouco mais sobre a fossa pré-moldada, qual a sua utilidade e o seu preço neste artigo elaborado pela Esgotecnica para esclarecer as dúvidas de nossos clientes e leitores do nosso blog!

Fossa séptica pré-moldada

Como nome já indica, as fossas sépticas pré-moldadas são fabricadas fora do local de instalação e levadas até o local da em que a fossa vai ser encaixada. Esse processo agiliza drasticamente a montagem da fossa e garante mais segurança, considerando que os produtos pré-moldados devem estar de acordo com normas de inspeção e controle de qualidade, algo que as fossas negras de alvenaria podem não ter. As fossas biodigestoras também podem ser pré-moldadas.

As fossas sépticas pré-moldadas são geralmente compradas diretamente com os fabricantes, que normalmente são empresas que fabricam estruturas de concreto pré-moldado ou pré-fabricado. A maioria dessas empresas dão cotação sobre a montagem das peças, dependendo do tipo escolhido.

Existem dois tipos diferentes de fossas sépticas pré-moldadas. Os modelos são as inteiriças e as em anéis. As inteiriças são feitas de uma única peça e não são necessariamente construídas de concreto, elas podem ser feitas de materiais como PVC e polietileno, por exemplo. As inteiriças são levadas até o local onde a fossa foi cavada e são encaixadas de acordo com o projeto.

As fossas sépticas em anéis exigem a montagem no local do projeto. Essas fossas são constituídas de anéis de cimento pré-moldados que são encaixados em cima de uma base lajeada. Depois de montada, a fossa recebe uma camada de concreto magro para vedação e a tubulação, deixando-a pronta para uso.

Vale lembrar que a tubulação das fossas sépticas pré-moldadas precisa ter um caimento de 2% (2cm a cada metro) para garantir o funcionamento correto.

Por isso, é importante que a instalação seja sempre feita por um profissional com experiência nesse tipo de sistema. Sempre confie em profissionais treinados e especializados nesses projetos.

Para que serve a fossa séptica pré-moldada

A fossa séptica pré-moldada tem exatamente a mesma função de outras fossas. Ela recebe os efluentes de uma residência, realiza o tratamento biológico do material nocivo à saúde e através de um sumidouro devolve o líquido para o meio ambiente sem prejudicar a natureza.

A diferença da fossa pré-moldada fica por conta da sua praticidade de instalação e para futuras manutenções. Há também a garantia de um projeto mais bem executado, já que ela está dentro de padrões aprovados pelo mercado e pela indústria.

Apesar da facilidade de instalação, é preciso ficar atento e alguns detalhes. Por exemplo, é necessário realizar um cálculo em relação ao nível de consumo de água da residência. Por padrão, é usado um valor e 250 litros de água por pessoa por dia. Com isso em mente, a recomendação do mercado é que a fossa não tenha menos de mil litros.

Quanto custa uma fossa séptica pré-moldada

A fossa séptica pré-moldada facilita bastante na hora de pesquisar por preços. Por ser feita em fábricas, é possível pesquisar o preço de diferentes modelos e de diferentes fabricantes para conseguir o valor que mais encaixa com a sua necessidade.

Isso torna a precificação da fossa séptica muito mais flexível. É possível encontrar fossas de polietileno a partir de R$ 1 mil. A montagem é mais simples e mesmo com a necessidade profissionais preparados, ainda pode sair mais em conta do que a construção de uma fossa de alvenaria do zero.

As fossas precisam de limpeza constante! Por isso, se você tem uma fossa na sua propriedade, que tal contar com o melhor serviço limpa-fossa de São Paulo e Região? Com a Esgotecnica você garante o melhor serviço para garantir a segurança da sua família, clientes e funcionários!

Não deixe de conhecer nossas soluções e facilidades. Entre em contato com a gente e sabia que você vai encontrar tudo o que precisa!

Fossa séptica biodigestora: o que é, para que serve e quanto custa

Um dos principais pontos para garantir uma boa qualidade de vida e mitigar riscos à saúde é a água encanada e, talvez até mais importante, um bom sistema e tratamento ou escoamento de esgoto. Enquanto isso é um dever da grande maioria das prefeituras do Brasil, algumas zonas infelizmente não podem contar com saneamento básico oferecido pelos órgãos públicos.

Os principais lugares que podem ter deficiência no saneamento básico são as zonas rurais e, em alguns casos, bairros de periferia. Nesses ambientes a coleta e o tratamento de esgoto se faz necessário, mas deve ser feito com o auxílio das fossas sépticas.

Entre os principais tipos de fossas estão as fossas biodigestores. Esses são modelos autossuficientes e que podem oferecer uma melhora considerável na gestão de dejetos de qualquer ambiente.

Para explorar mais sobre esse tipo de sistema, a Esgotecnica reuniu algumas informações para que nossos clientes fiquem mais cientes e entendam mais sobre esse importante sistema para diversos ambientes e residências.

Conheça mais sobre esses sistemas e quais as suas vantagens para um ambiente.

O que é uma fossa biodigestora

A fossa biodigestora funciona como outras fossas sépticas, ela fica responsável por tratar os efluentes que são despejados pela descarga através de diferentes processos. Quando bem executada, a fossa biodigestora devolve para o solo a água tratada e que não oferece risco de contaminação para a natureza.

Confira como esse sistema funciona.

O sistema funciona no vaso sanitário. Assim que a descarga é acionada, os efluentes são levados para a primeira parte do sistema de tratamento de esgoto através de uma ligação direta de canos.

Nessa primeira etapa os efluentes ficam armazenados por um determinado período e passam pela biodigestão. Nesta caixa acontece um procedimento interessante e que separa a fossa biodigestora de outros modelos. A biodigestão é feito através de uma mistura de esterco de boi e água. É colocado um total e 10 litros de esterco de boi para 10 litros de água.

Em fazendas e áreas rurais, onde esses sistemas são mais utilizados, o uso do esterco torna a fossa biodigestora autossuficiente e um excelente sistema para tratamento de esgoto.

As bactérias presentas na mistura de esterco com água são capazes de decompor as bactérias presentes nos dejetos humanos em um processo chamado de biodigestão. Quando a primeira caixa começa a encher, ela transborda para a segunda etapa. Esse procedimento faz com que os gases sejam produzidos mais rapidamente e eventualmente liberados por diversas válvulas.

No procedimento final, a fossa séptica recebe todos os dejetos tratados, já livres de coliformes fecais e totalmente seguros para despejo ou reuso. O material orgânico final é rico em nitrogênio, fósforo e potássio, além de micronutrientes que podem ser usados como adubo orgânico, seguro e natural.

O processo total de digestão da fossa dura um período de até 120 dias.

Para que ela serve?

Bom, como dá para entender pelo processo de funcionamento, a fossa séptica serve para tratar o esgoto de uma residência e ainda assim ter usos posteriores como adubo em diversas situações.

Esta é uma das opções mais amigáveis com produtores rurais e pequeno e médio porte ou até mesmo para uso em uma comunidade. A simplicidade do projeto também auxilia bastante na sua aceitação e também na usabilidade em diversos ambientes.

Quanto custa uma fossa biodigestora?

Outra grande vantagem das fossas sépticas biodigestoras é que ela tem um preço bem mais flexível do que outros modelos, já que ela pode ser construída e diferentes materiais que podem alterar bastante o preço.

Por exemplo, a estrutura da fossa séptica biodigestora pode ser feita de caixa de PVC ou então com manilhas de cimento, que são relativamente mais baratas. Esses sistemas também podem ser feitos de alvenaria por um bom pedreiro. Ou seja, o custo da fossa biodigestora pode variar bastante e agradar a diferentes bolsos e necessidades, tornando essa opção ainda melhor para os ambientes rurais que podem variar em orçamento disponível.

Também vale considerar que as fossas sépticas biodigestoras podem economizar bastante com limpeza e com o contrato de caminhos para carregar os dejetos que sobram, já que muito pode ser reutilizado.

Com o tempo, essa economia pode superar preço total pago pelo projeto original. Com essas vantagens, a fossa séptica é um excelente sistema de tratamento de esgoto e que pode causar um impacto muito positivo para o meio ambiente e para os residentes de um local.

Lembrando que a fossa biodigestora precisa ser elaborada com um projeto eficiente e que esteja de acordo com o que é determinado pelos órgãos de segurança do meio ambiente.

Para todas as soluções ligadas a esgoto e a limpeza de fossas, você pode contar com a Esgotecnica para São Paulo e região. Com a gente você não tem dor e cabeça!

Quanto tempo dura uma fossa séptica

A fossa séptica é um sistema efetivo e que funciona muito bem para residências e imóveis que não contam com sistemas de escoamento de esgoto. Por mais que não pareça, as fossas sépticas estão longe de ser um sistema de tratamento de esgoto rudimentar e primitivo.  As fossas sépticas, além de durarem bastante tempo, são bem seguras para o meio ambiente e para os moradores.

O funcionamento das fossas sépticas é completamente baseado em ações de bactéria, gravidade e quase nenhum processo diretamente mecânico. Por isso é importante entender como cuidar da fossa para evitar que ela seja danificada sem possibilidade de reparos.

Quanto tempo dura uma fossa séptica?

Bom, essa é uma pergunta simples de ser respondida, a fossa séptica pode durar para sempre. Mas, e esse é um ‘mas’ muito importante, deve haver um cuidado muito grande com o todo o sistema, já que a fossa pode durar para sempre, mas pode parar de funcionar a qualquer momento devido a uma manutenção irregular.

Entenda um pouco melhor como ela funciona de forma sucinta:

  • A fossa retém o esgoto da casa em uma estrutura, geralmente feita de alvenaria ou pré-fabricada. Durante o período inicial de retenção é feito a separação do material sólido. Ele é levado para o fundo da fossa por processo de sedimentação através da gravidade.
  • As bactérias anaeróbicas realizam um processo natural onde anulam a ação dos micro-organismos e bactérias presentes nos dejetos humanos. Durante esse procedimento os dejetos sólidos são diminuídos e há a liberação de gases durante esse processo.
  • A parte líquida é levada até o sumidouro, instalação responsável por devolver o líquido trato para o meio ambiente de forma segura.
  • No final, o que sobra é o lodo, que fica depositado no fundo da fossa séptica. Esse é o material sólido que não é decomposto pelo processo natural da fossa.

É importante notar que para o processo funcionar de forma correta é necessário que: A parte estrutural da fossa esteja íntegra. Que as bactérias estejam saudáveis e vivas. E é importante notar que o lodo sobra no final.

O lodo é o que temos que nos preocupar, já que ele precisa ser limpo com certa periodicidade. Se o lodo não for retirado da fossa, ele acaba acumulando e eventualmente vai transbordar, deixando a fossa inutilizável.

A fossa transbordar é o que pode ser classificado como o “fim” dela. Apesar de ser possível dar jeito com uma empresa profissional.

Porque a fossa enche e transborda?

Como já falamos, a principal causador de uma fossa séptica que transborda é o acumulo de lodo. Para evitar esse problema é preciso limpar a fossa para retirar os dejetos sólidos restantes.

Essa limpeza deve sempre ser feita por uma empresa profissional de limpa fossa para evitar danos ao meio ambiente.

Como é feita a limpeza da fossa séptica

A limpeza da fossa séptica deve ser feita por uma empresa credenciada e com todos os equipamentos e funcionários treinados para esse tipo de serviço. A primeira preocupação que o proprietário de uma fossa deve ter é se a empresa vai realizar a limpeza sem danificar a fossa.

Em alguns casos é possível que pessoas não especializadas danifiquem a fossa ou as bactérias anaeróbicas durante o processo de limpeza e remoção do lodo.

Outra grande preocupação é qual vai ser o destino dos dejetos recolhidos da fossa. Uma empresa que está de acordo com a lei irá descartar os efluentes apenas em áreas destinadas para esse tipo de material. Como os aterros sanitários.

Ao contratar uma empresa que não está dentro das normas estipuladas pelos órgãos reguladores, pode ser que você confie em alguém que descarta os dejetos e forma irregular. Mesmo que a emprese jogue a sujeira “longe”, o meio ambiente ainda está sendo contaminado e eventualmente acabará prejudicando você de forma direta.

Sabendo da importância de contratar uma empresa séria, entenda como funciona a limpeza:

  • Ao contratar a Limpafossa vamos até o local com um caminhão equipado com um sistema a vácuo. O sistema aspira todos os dejetos e armazena no tanque séptico, feito especialmente para transportar esse tipo de resíduo.
  • Após a limpeza os dejetos são levados para o aterro onde são descartados de forma adequada e sem causar problemas para o meio ambiente.

Sim, é fácil e rápido! Basta contar com a gente para garantir que a sua fossa séptica vai ser limpa de maneira correta.

Outros fatores que afetam a fossa séptica

  • Produtos de higienização, como desinfetantes e cloros. Esses produtos podem prejudicar as bactérias presentes dentro da fossa e atrapalhar o funcionamento da fossa como um tudo.
  • Chuvas frequente, fossa em má conservação e com infiltração nas paredes.
  • Gordura e óleo de cozinha. Com as fossas é o mesmo caso das caixas de gordura, o óleo se solidifica e entope os canos.

Para garantir que a sua fossa funcionará adequadamente e que ela vai ser limpa por profissionais, chame a Limpafossa!

Limpeza de fossa: quem paga é o inquilino ou o proprietário

Você tem ideia de quem deve pagar a limpeza de fossa séptica?

As fossas sépticas são sistemas importantes para diversos ambientes que não contam com sistema de esgoto. Por não parecer, mas esses sistemas são sim muito populares e podem estar presentes até nos grandes centros urbanos.

Essa situação não é diferente com os imóveis alugados. Muitas casas e ambientes comerciais alugados podem apresentar fossas sépticas como a opção para tratamento de esgoto. Alguns condomínios também utilizam desse sistema.

Mas isso levanta uma questão. Nesses casos, quem paga a limpeza de fossa, o inquilino ou o senhorio? Bom, essa é uma pergunta que exige uma resposta não tão simples. É preciso analisar alguns fatores importantes e estar bem conversados entre as partes.

Nós da Limpa fossa vamos esclarecer um pouco mais sobre esse assunto e falar um pouco mais sobre o funcionamento das fossas sépticas.

Limpeza de fossa séptica – Quem paga, inquilino ou o proprietário?

Como dissemos, essa é uma questão um pouco complicada, já que é preciso considerar alguns fatores diferentes. Bom, a primeira coisa a se esclarecer é que de forma comum, o inquilino é quem deve pagar pela limpeza de fossas, assim como o desentupimento de vasos sanitários. Essa é a regra para o caso as casas.

Porém, nem todos os inquilinos e proprietários entram de acordo em relação a isso e pode haver uma pequena argumentação. Por isso, o que nós recomendamos fortemente é que esse detalhe esteja muito bem especificado no contrato. Mesmo que o proprietário assuma a despesa, coloque essa observação no contrato que será assinado por ambas as partes.

Já no caso dos condomínios verticais, as fossas e estações de tratamento são usados por todos e quem deve pagar é a administração do imóvel. Porém, como na maioria dos condomínios, o preço do serviço já está inserido no valor da taxa de condomínio que todos os moradores pagam por mês.

Essas despesas podem ser encaixadas como despesas ordinárias e devem funcionar da mesma forma que contas de água, luz, entre outras.

Nos condomínios horizontais, que é basicamente um bairro fechado, geralmente cada casa conta com uma fossa. Nesses casos, as regras são as mesmas para as casas alugadas, quem deve pagar pela limpeza da fossa são os inquilinos.

Dicas para a limpeza de fossas em condomínios

Aproveitando que tocamos no assunto dos condomínios, temos algumas dicas que podem ser bastante importantes. Por exemplo, é preciso limpar mais do que as fossas, é preciso também se preocupar com as colunas de esgoto.

Outra dica que pode funcionar muito bem é o contrato com empresas para realizarem estes serviços. Com um contrato de limpeza anual, ou com qualquer outra frequência desejada, é possível economizar bastante, além de contar com a fossa sempre limpa e para evitar muitos problemas graves causados pelo acúmulo de lodo.

Outra dica fundamental é que a limpeza deve ser sempre realizada por uma empresa profissional e que conta com todos os equipamentos necessários para evitar danos na fossa e problemas para o meio ambiente como um todo.

Lembre-se de sempre contratar quem respeita você e a natureza na hora de realizar a limpeza de fossas sépticas de qualquer tipo de imóvel ou ambiente.

O que mais é responsabilidade do inquilino?

Além da limpeza de fossa, o inquilino também tem que arcar com outras partes da manutenção, tais como:

  • Reparo ou troca de torneiras. Recomenda-se que a troca seja de preferência por equipamentos da mesma marca e modelo. Na falta da mesma marca e modelo, é bom colocar torneiras de mesmo padrão.
  • Conserto ou realização da substituição de todo o encanamento externo do imóvel como, cano das louças sanitárias e pias da cozinha e tanque. Assim como a correção de vazamentos.
  • Troca de disjuntores estragados e manutenção do relógio de luz e sua fiação.
  • Troca de tomadas de energia elétrica por outras de mesmo padrão quando estragadas.
  • Troca ou conserto de peças do vaso sanitário. Isso inclui as borrachas de vedação, peças da descarga, parafusos e mais.
  • Troca de vidros quebrados ou trincados.
  • Troca ou conserto de fechaduras externas ou internas no mesmo padrão.
  • Conserto das fechaduras internas e chaves.
  • Troca de cerâmicas ou azulejos que forem lascados, riscados, trincados ou quebrados pelo inquilino.
  • Conserto ou troca do interfone do imóvel e campainha.
  • Conserto da fiação elétrica quando o problema for causado pelo inquilino.

Pronto! Agora você já sabe que o inquilino deve pagar pela limpeza de fossa. A menos que o contrário esteja escrito no contrato de locação.

Para realizar um serviço de limpeza de fossa profissional, seguro e de acordo com todas as leis e normas vigentes, conte com a Limpafossa! Atendemos em toda Grande São Paulo e também em cidades do interior, sempre com profissionalismo e rapidez.

Contamos com equipamentos de última geração e profissionais treinados, tudo para que você não precise se preocupar!

Entre em contato com a gente e conheça a melhor empresa limpa fossa de São Paulo!

Tratamento de esgoto em condomínios: Como fazer

O tratamento de esgoto em condomínios é um pouco diferente do tratamento em residenciais. A lei exige que os condomínios que fiquem em áreas com rede de esgoto se liguem diretamente à rede, já os que não ficam nessas áreas devem ter uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) própria.

As Estações de Tratamento de Efluentes está cada vez mais popular em condomínios. É possível encontrar este tipo de estrutura tanto nos condomínios verticais quanto nos horizontais, sejam de alto padrão ou populares.

Essa popularidade não é à toa. Os novos sistemas de tratamento de esgoto em condomínios são bem eficientes, estão cada vez mais acessíveis e podem até gerar economia. Sem contar que fazem bem para o meio ambiente.

A Esgotecnica traz para vocês um artigo que fala mais sobre o tratamento de esgoto em condomínios e como ele é feito!

Como é feito o tratamento de esgoto em condomínios

Até poucos anos atrás os condomínios optavam pelo uso das fossas sépticas para o tratamento de esgoto. A fossa séptica funciona de forma bem simples, coletando todo o esgoto sendo tratado em três processos simples.

  • Primeiro todo o esgoto é coletado em uma fossa séptica;
    • Dentro dessa fossa há o processo de decantação, onde o sólido é separado do líquido com ajuda da gravidade.
  • Depois há um processo biodigestor realizado por bactérias anaeróbicas.
  • Após esse processo o esgoto está 90% tratado e já pode voltar para o ambiente através do sumidouro sem causar danos para a natureza.

No fim do processo, o lodo que sobra na fossa deve ser limpo por empresas profissionais e destinados a aterros sanitários adequados.

Bem simples. Não é mesmo?

Porém, em condomínios com muitas pessoas, a fossa não é mais considerada a melhor opção por causa do volume necessário para o tratamento. Sem contar que as novas legislações também fazem os condomínios de grande porte preferir as ETEs.

Como funciona as ETEs?

As Estações de Tratamento de Efluentes são mais complexas que os sistemas que utilizam fossas. Ele tem um procedimento dividido em diversas etapas. Confira quais são de modo geral:

  • Os efluentes, da cozinha e do banheiro, saem dos apartamentos e vão até a estação elevatória. Aqui há o processo de gradeamento, onde o sólido é separado do líquido de forma mais grossa. O sólido é limpo por uma empresa especializada tal como no casso da fossa séptica e o líquido é bombeado para o resto do processo de tratamento. Também acontece processo de decantação neste primeiro momento.
  • O líquido é bombeado para os reatores que realizam o processo biodigestor. Aqui o líquido também é aerado para melhorar a limpeza e o tratamento do esgoto. O processo de limpeza é feito por bactérias que são mantidas dentro do sistema. As bactérias produzem o lodo que vai para a área de secagem antes de também ser encaminhado para aterros. Alguns modelos de ETEs tem um processo automatizado de embalar o lodo para ser despejado.
  • Durante o processo dos reatores, é produzido o biogás, que contém metano. Esse gás é inflamável e é aqui que entra uma das principais vantagens das ETEs. O biogás é queimado para ser convertido em CO2 (O gás carbônico é menos poluidor do que o Metano). Porém, dependendo do projeto, o condomínio pode utilizar a queima do metano para gerar energia. Trazendo economia para o consumo de energia do prédio.
  • Alguns ETEs tem um processo final com cloro e outros com luz Ultravioleta (UV). Tanto o cloro quanto o UV desinfetam a água. Depois disso ela está totalmente tratada.

Após o final deste percurso a água pode ser devolvida para o ambiente através de sumidouros ou reutilizada para a irrigação de plantas e gramados além da limpeza em alguns lugares.

Qual o sistema escolher?

Essa é uma pergunta que pode ser respondida apenas pelo engenheiro responsável pelo projeto de tratamento de esgoto no condomínio. Ele vai tomar essa decisão baseado em diferentes fatores.

Já em relação ao preço, deve ser escolhido pensado nas vantagens e na qualidade de vida dos moradores. Como dissemos, existem diferentes vantagens para quem utiliza as ETEs.

Isso quer dizer que apesar do preço alto, depois de um tempo é possível recuperar o valor na economia de água e energia que é possível fazer com esses sistemas.

As ETEs são mais eficientes e muito mais amigáveis com o meio ambiente. Trazendo não apenas as vantagens econômicas, mas diminuindo bastante o efeito causado pelo imóvel no meio ambiente.

Hoje em dia muitos moradores estão preocupados com a natureza e quais as ações do condomínio para proteger o meio ambiente.

Esses são fatores importantes na hora de decidir qual o sistema de tratamento é o mais indicado para o empreendimento.

Para a limpeza de fossas sépticas e ETEs não tem dúvidas! A melhor escolha para o estado de São Paulo é a Limpa Fossa Esgotecnica!

Função Caixa de Gordura

Caixa de gordura: qual sua função e como mantê-la limpa

A caixa de gordura é uma instalação encontrada na maioria das residências e imóveis comerciais. Ela é importante para garantir a integridade e o bom funcionamento de toda a tubulação, não só na cozinha.

As caixas de gordura são uma das especialidades da Limpa Fossa Esgotecnica, trazemos o nosso conhecimento para auxiliar você leitor no entendimento desta importante instalação. Confira.

O que é a caixa de gordura

A caixa de gordura é uma das linhas defensivas da sua tubulação residencial ou comercial. Como o nome já indica ela é uma caixa, comumente feita de concreto ou pré-fabricada em PVC, que funciona como um balde de coleta de gordura.

Toda a gordura jogada dentro da pia da cozinha é despejada na caixa de gordura. A caixa tem todas as suas medidas definidas e calculadas pelo engenheiro da obra de acordo com a necessidade de uso da cozinha. As pré-fabricadas aumentam de tamanho de acordo com essa necessidade.

Enquanto ambientes residenciais precisam de caixas menores e mais fáceis de serem projetas, a caixa de gordura de restaurantes e imóveis maiores precisa de um projeto mais robusto e complexo.

O funcionamento da caixa de gordura é bem simples, tudo feita pela água e o efeito de empuxo. Dentro da caixa há uma quantidade determinada de água que funciona como um filtro de gordura. A água que vem da cozinha, com gordura e óleo, cai dentro da caixa, pelo óleo não se misturar com a água e ser mais leve, todas as partículas de gordura são elevadas até a superfície.

A água, que fica no fundo, passa por um tubo localizado na parte de baixo da caixa de gordura e vai para a tubulação de esgoto. A gordura se acumula em placas e fica boiando na caixa de gordura.

A gordura fica na caixa de até ser limpa, por isso a manutenção é importante.

Como é feita a limpeza da caixa de gordura

A limpeza da caixa de gordura em ambientes residenciais não é complicada, na maioria das vezes feita manualmente e de forma rápida.

De forma simples, a limpeza da caixa de gordura segue estes paços:

  • Tenha as ferramentas necessárias em mãos – Limpar a caixa de gordura em casa não é difícil, você vai precisar de sacos de lixo, luvas de borracha compridas, uma concha ou balde pequeno (se o balde tiver furos, como um escorredor, ajudará bastante).
  • Abra a tampa a caixa de gordura – A maioria das caixas de gordura modernas são feitas em plástico PVC com uma tampa de fácil remoção.
  • Retire a gordura da caixa – Usando as luvas, use o balde pequeno ou a concha para remover a camada de gordura encontrada dentro da caixa. Jogue a gordura dentro dos sacos de lixo. Se quiser, pode usar uma esponja ou escovinha para limpar as paredes da caixa.

Alguns modelos de caixa feita em PVC possuem sistema de limpeza fácil, onde uma cesta removível retira toda a gordura em poucos passos. A limpeza nestes casos depende bastante da instrução da fabricante. Porém pode ficar tranquilo, pois estes modelos são sempre pensados na facilidade.

Em algumas lojas especializadas é possível encontrar uma bactéria que come a gordura, bastante usada para essas limpezas. Porém, os especialistas recomendam que mesmo com o uso constante delas, a limpeza manual deve ser feita de forma periódica.

Não existe uma periodicidade certa para a limpeza da caixa de gordura. Basta notar quando a água começa a sair pela tampa ou a água da pia começa a descer devagar demais. Para quem não quer deixar chegar neste estado, basta fazer a limpeza a cada 6 meses.

Condomínios e restaurantes podem seguir este período dos 6 meses. Se a caixa for devidamente projetada, não haverá acumulo de gordura em períodos menores.

Como manter a caixa de gordura limpa por mais tempo

A caixa de gordura sempre precisa ser limpa, é normal que ela fique suja. Porém, é possível retardar um pouco a limpeza com algumas dicas simples. A primeira e mais importante é nunca jogar gordura e óleo dentro do ralo da pia, além de evitar que a caixa de gordura suje mais rápido, também evita entupimentos no cano.

Além de gordura e óleo, evite também jogar pelo ralo quais restos de comida. Estes restos podem ficar preso na tubulação e causar um entupimento. Outra dica bem legal é jogar água fervente pelo cano duas vezes por semana. A água quente derrete a gordura e ajuda a evitar que os canos fiquem com as paredes mais espessas.

A última dica, porém, não menos importante, é sempre contratar profissionais para a limpeza e manutenção da caixa de gordura. Se você precisa de limpeza da caixa de gordura, conte com a Esgotecnica.

Temos uma equipe altamente treinada e com atendimento 24h, garantindo eficiência máxima e o total conforto para os nossos clientes! Entre em contato com a gente e tenha a disposição o melhor serviço de São Paulo.

Diferença Fossa Setpica e Sumidouro

Fossa Séptica e Sumidouro entenda as diferenças

Existem diversos tipos de fossas e tratamentos baseados em processos químicos. Entre os termos mais comuns existem uma certa confusão para distinguir as diferenças entre fossa séptica e sumidouro.

A fossa séptica, ou tanque séptico, é um dos sistemas de tratamento de esgoto mais conhecidos no mundo todo. Usado principalmente em locais rurais e sem a presença de sistemas de coleta de esgoto.

No Brasil, as fossas sépticas são muito comuns em zonas rurais, fazendas, sítios, ranchos, propriedades em parques nacionais e áreas de preservação, além de propriedades próximas da praia.

Em outros países este tipo de sistema é comum até mesmo em zonas urbanas. Ou seja, a fossa séptica é uma estrutura importante e que possibilidade a qualidade de vida de muitas pessoas, incluindo ambientes residenciais e comerciais.

O sumidouro faz parte do sistema de fossa séptica e desempenha uma importante função na hora de tratar os efluentes da residência. Ele precisa ser instalado de acordo com as regras que impõe a distância mínima e o tipo de solo em que ele precisa ser colocado.

A ideia do sumidouro, como o nome já indica, é destinar parte dos efluentes para “sumir” no ambiente, sem prejudicar a flora, fauna e recursos naturais do ambiente.

Fossa séptica como funciona

A fossa séptica é um sistema de tratamento de esgoto de baixo custo. Mas isso não significa que o seu processo seja simples. A fossa séptica funciona através de diversos processos químicos e biológicos para garantir o tratamento dos dejetos e anular os efeitos nocivos à natureza.

A primeira etapa do funcionamento da fossa séptica é a coleta do material dentro do tanque séptico. O primeiro processo se chama decantação. Neste momento a gravidade faz a função de separar os líquidos dos sólidos. Os dejetos sólidos ficam depositados no fundo do tanque, formando o que é chamado de “lodo”.

Logo após a separação entre as partes sólidas e líquidas do esgoto começa o processo de decomposição. Este é um procedimento complexo, realizado por bactérias anaeróbicas que para realizar a sua função precisam estar saudáveis.

Este processo libera gases que escapam pelas válvulas de saída da fossa. A ideia é que as bactérias também neutralizem boa parte da nocividade dos gases, permitindo que eles voltem para o meio ambiente de forma menos agressiva.

Após este processo os dejetos ficam divididos entre lodo, dejetos líquidos e escuma (camada quase sólida que boia na parte líquida).

Conforme o tanque séptico vai enchendo, o líquido passa a ser despejado na parte inferior do segundo tanque, onde ele é filtrado por elementos naturais, como cascalho e areia. Este é o último processo antes do líquido ir para o sumidouro.

Sumidouro como funciona

Depois de todo o processo descrito logo acima, o líquido é depositado no sumidouro. O sumidouro é uma peça importante e que tem diferenças de funcionamento dependo da área instalada.

Mas a ideia principal é que ele filtre a água dos dejetos em um filtro natural de cascalhos e pedras.

Como estas estruturas são quase sempre instalados em áreas rurais, a função do sumidouro é devolver o líquido para a natureza através do solo. Em alguns casos mais raros, o sumidouro pode ser ligado com outras tubulações para destinar todos os dejetos da fossa.

O sumidouro tem uma conexão com o solo. Através desta conexão lentamente devolvido para o solo de maneira segura e sem prejudicar o meio ambiente.

As diferenças entre fossa séptica e sumidouro

Sabendo como cada uma das estruturas funciona é bem fácil entender as diferenças entre fossa séptica e sumidouro. O sumidouro é uma peça fundamental para que a fossa tenha um processo completo, desde a coleta até o correto despejo dos dejetos líquidos.

Porém, o sumidouro não funciona sozinho sem a fossa, sem ela, ele é apenas “uma caixa”.

Principais cuidados para instalar a fossa séptica e sumidouro

Por ser um sistema complicado e lida com dejetos perigosos, é preciso ser uma série de recomendações para a montagem e instalação de fossas e sumidouros. A primeira e mais importante dica é sempre contar com profissionais para realizar a instalação, limpeza e manutenção das fossas.

Sempre contrate empresas especializadas para realizar estes serviços. Não arrisque a saúde do meio ambiente e de seus familiares. A Esgotecnica atua há anos neste segmento e pode garantir que a fossa da sua propriedade receba todos os cuidados necessários.

Na hora de instalar ou construir uma fossa séptica, é preciso seguir alguns parâmetros para auxiliar na qualidade e no funcionamento da estrutura:

  • A instalação deve sempre ter uma distância mínima de pelo menos 4 metros da residência, evitando assim o mau cheiro.
  • A fossa e o sumidouro nunca devem ficar próximos de sistemas de capitação de água (a distância mínima recomendada é de 30 metros).
  • O sistema deve ser preferencialmente instalado ao lado do banheiro, em um nível mais baixo que o terreno, mas evitando ao máximo as curvas nos canos.
  • A fossa deve receber apenas efluentes e dejetos humanos ligados ao banheiro. Evite despejar esgotos de ralos e pias. O Detergente e outros produtos podem atrapalhar o funcionamento das bactérias anaeróbicas.

Seguindo estes procedimentos, você evita que a fossa perca eficiência e garante que ela e o sumidouro cumpriram o seu objetivo.

Limpa Fossa ABC Paulista

Limpeza de fossa no ABC paulista

A região do ABC Paulista consiste nas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano e está localizada na Região Metropolitana de São Paulo. Apesar de ser um ambiente bem urbanizado, por ser fortemente industrial, o serviço de limpa fossa no ABC paulista é uma tarefa essencial.

Uma das principais áreas atendidas pelos serviços de limpa fossa é a área industrial. Muitas das estruturas industriais contam com fossa e sumidouro para realizar o descarte dos dejetos humanos. Por isso, muitas empresas do ABC paulista contam com a Esgotecnica para limpar a fossa com segurança e agilidade.

Apesar dos inúmeros avanços do saneamento básico e das novas tecnologias, as fossas sépticas ainda continuam sendo bastante confiáveis e amplamente usadas nos mais diversos segmentos.

Além das industrias, o ABC também conta com diversas residências que utilizam o sistema de fossa para o tratamento de esgoto.

Portanto, o serviço de limpa fossa no ABC paulista está garantindo com a Esgotecnica! São 20 anos atuando na área, sempre garantindo a satisfação total de nossos clientes.

Como funciona a limpeza de fossa

Para entender como funciona a limpeza de uma fossa, primeiro é importante entender o básico de como ela trata o esgoto.

A fossa séptica é um tanque projetado para receber e armazenar todos os dejetos de uma residência, área comercial ou industrial. Após receber os dejetos, ela passa por alguns processos.

  • O primeiro procedimento é o processo de decantação. Com o auxílio da gravidade a fossa separa todo o material líquido do sólido, formando o lodo no fundo da fossa.
  • Após o processo de decantação o esgoto despejado dentro da fossa séptica passa por um processo de decomposição. Para que o processo seja feito com sucesso, é necessário que as bactérias anaeróbicas estejam saudáveis.
  • Os gases são separados e neutralizados, se tornando menos nocivos ao meio ambiente. Os gases são liberados pelas válvulas de escape da fossa.
  • O líquido então passa por um filtro e vai para o sumidouro, onde também volta para o meio ambiente de forma menos nociva. O lodo permanece na fossa até atingir o nível onde é necessário realizar a limpeza.

O procedimento de funcionamento de uma fossa pode parecer simples, mas ele exige uma série de fatores para que seja feito com eficiência. Um destes fatores é a limpeza, que deve sempre ser feita de maneira correta.

Como é feita a limpeza de fossa

A limpeza correta da fossa é importante para evitar qualquer dano na tubulação ao às bactérias que realizam a decomposição da matéria orgânica.

Cada tipo de fossa possui um diferente modo de limpeza, que depende da marca e do modo de construção. Porém, de maneira geral, a ideia é sempre a mesma: retirar o lodo depositado no fundo da fossa séptica.

O primeiro passo do técnico é abrir a tampa ou as válvulas de escape de gás da fossa por alguns minutos. Este é um procedimento importante para que a fossa possa respirar e liberar gases perigosos que possam estar dentro do tanque séptico.

Após o período de respiração, os resíduos sólidos são retirados com uma mangueira de sucção. Eles são transportados para um contêiner preparado e equipado para receber este tipo de dejeto. A maioria das empresas utiliza caminhões especiais com bomba de sucção e contêiner para dejetos.

O procedimento não para por aqui. Depois de fazer a sucção, todos os dejetos, sem exceções, devem ser levados para um aterro preparado. Isso garante que os dejetos não serão jogados em qualquer lugar do ambiente, causando contaminações da flora e fauna.

Esse material deve ser transportado por uma equipe especializada e receber o devido tratamento.

Em muitos casos são deixados pelo menos 10% do lodo dentro da fossa. Mas não se preocupe, não é um trabalho feito pela metade. O lodo é deixado na fossa para evitar que o processo seja interrompido de vez, prejudicando o funcionamento das outras etapas.

Não existe periodicidade para a limpeza da fossa, mas é recomendado que ela seja feita pelo menos uma vez por ano em ambientes pequenos, ou 2 vezes para cargas maiores.

Como é feita a limpeza de fossa no ABC paulista

A limpeza de fossa no ABC paulista feita pela Esgotecnica é a garantia de que você terá a fossa limpa de maneira satisfatória e com todos os procedimentos necessários.

Ao contratar nossos serviços, realizaremos a visita com caminhão de sucção, preparado para a limpeza sem agredir a fossa. Após a limpeza completa, levamos os dejetos até um aterro, sempre com muito respeito ao meio ambiente e todas as principais normas e leis.

Confiar na Esgotecnica é a certeza de que você terá o melhor serviço, com as melhores condições e de acordo com todas as principais regras do setor.

Entre em contato com a gente e conheça mais sobre os nossos serviços e condições!

Hidrojateamento para Desentupimento de Esgoto

Hidrojateamento de alta pressão para desentupimento de esgoto

O entupimento da tubulação de esgoto em uma residência é algo complicado e que dá muita dor de cabeça. O entupimento pode ser ainda mais prejudicial quando acontece em industrias, empresas e prédios. Nestes casos, é quase sempre recomendado o uso do hidrojateamento para desentupimento do esgoto.

O hidrojateamento, também chamado de jateamento ou hidro corte, funciona de forma “simples”. A ideia por trás do sistema é usar a alta pressão da água para eliminar qualquer obstrução dentro do encanamento.

A alta pressão controlada dos aparelhos de jateamento é capaz de eliminar entupimentos de alta severidade. Para se ter uma ideia, jatos de alta pressão podem ser usados para cortes em aço.

O jato é amplamente empregado em limpezas e diversos outros seguimentos. Porém, ele se destaca no desentupimento das tubulações, principalmente do âmbito industrial, empresarial e em prédios.

Como funciona o hidrojateamento para desentupimento de esgoto

Este tipo de trabalho deve sempre ser executado por uma equipe profissional, com os devidos equipamentos e treinamento. Por trabalhar com alta pressão, estes são equipamentos complexos e que deve ser manuseado com todo cuidado.

Ou seja, conte sempre com a ajuda da Esgotecnica para realizar o desentupimento da melhor forma possível, seja na sua residência ou área comercial!

O hidrojateamento pode ser considerado uma evolução do sistema de desentupimento por garra. Porém, ele é uma ferramenta de desentupimento muito mais sofisticada e eficiente. O hidrojato é formado por uma mangueira de alta pressão com um bico especial encaixado em sua ponta.

A mangueira é conectada à uma máquina de pressurização, na maioria das vezes acoplada a um caminhão que realiza a visita até o local do entupimento.  A força da água, junto da ação do bico especial para desentupimento, quebra e quase desintegra obstruções de qualquer tipo.

Fios de cabelo, objetos sólidos, acúmulo de gordura e minerais, terra e qualquer outro tipo de obstrução, tudo é empurrado para dentro do cano e abre caminho no encanamento.

A mangueira tem uma capacidade de até 260 litros de água por minuto. Isso impulsiona todas as obstruções, porém, sem causar nenhum tipo de dano ou risco para as tubulações.

Geralmente, a primeira etapa do processo é a vídeo-inspeção, onde uma câmera ótica é usada para determinar qual a obstrução no encanamento. A inspeção também serve par analisar se há problemas prévios nos canos (como furos e rachaduras) que podem prejudicar ou até evitar o uso do hidrojateamento.

Para quais situações o hidrojateamento é indicado

O hidrojateamento para desentupimento de esgoto realizado pela Esgotecnica é um procedimento seguro e que não oferece nenhum risco para o encanamento. Isso o torna a melhor opção para uma desobstrução rápida para os mais diferentes ambientes e sistemas.

Entre os principais sistemas onde é possível aplicar o uso do desentupimento com jato de alta pressão estão:

  • Tubulações
  • Caixas d’água
  • Colunas de prédios
  • Caixas de gordura
  • Redes de águas pluviais e esgoto
  • Tanques
  • Galerias pluviais
  • Caixas de inspeção
  • Canaletas
  • Limpeza de despejos de óleos
  • Sistema de drenagem e desobstrução de dutos
  • Decapagem de concreto e subterrâneos

O hidrojateamento para desentupimento é um procedimento altamente indicado para desobstruções com rapidez e eficiência. Em entupimentos mais críticos, pode ser que o hidrojateamento seja a única solução.

Entre em contato com a Esgotecnica! Nós oferecemos a melhor solução para a obstrução do seu encanamento e traremos o melhor e mais rápido resultado!

Quais as principais vantagens do hidrojateamento para desentupimento

Existe uma série de vantagens no uso do hidrojateamento, além da sua eficiência, é claro. Além de ser a melhor solução para diferentes tipos de obstrução, o hidrojateamento também é inofensivo para o meio ambiente.

Este tipo de desobstrução utiliza apenas água limpa em altas pressões. Sem o uso de qualquer aditivo químico, esta é uma solução amiga do meio ambiente, e, principalmente, amiga das tubulações. Não há nenhuma preocupação em relação a corrosão por uso de materiais químicos fortes (como a soda cáustica, muito comum para desentupimento doméstico).

Outra grande vantagem é que não é necessário nenhum tipo de limpeza após o procedimento ter sido realizado. Assim como não é preciso nenhum preparo antes da realização do trabalho.

O jateamento retira apenas os detritos que estão bloqueando a tubulação, sem causar nenhum dano para os canos.

Ao notar que há problemas com entupimentos na sua residência, condomínio, empresa ou estrutura industrial, é possível contar com as tecnologias de alta pressão.

Entre em contato com a Esgotecnica e consulte nossos valores e procedimentos. Oferecemos uma frota própria e os melhores equipamentos para levar até você a melhor solução em desobstrução.

Também contamos com profissionais treinados e com todos os EPI para garantir a segurança de todos os envolvidos.

Não passa raiva, chame a Esgotecnica que a gente resolve o seu problema com canos obstruídos e entupidos!

Limpa Fossa Vargem Grande

Limpa Fossa em Vargem Grande Paulista

A Limpa Fossa na Vargem Grande Paulista é um serviço essencial para garantir que os moradores, empresas e áreas comerciais da região possam garantir a qualidade do tratamento de esgoto.

A Esgotecnica oferece este trabalho importante 24h, para que você nunca fique na mão quando precisar limpar a fossa. Continue com a gente, e conheça um pouco mais sobre o nosso serviço de limpa fossa na Vargem Grande Paulista e como nós nos preocupados com o seu bem-estar.

O quê é uma fossa séptica?

A Fossa Séptica consiste em duas partes, o tanque séptico, ou a fossa propriamente dita e o sumidouro. O tanque é basicamente uma caixa a prova d’água feita de concreto ou fibra de vidro, com um cano de entrada e um de saída.

Este tanque recebe todos os dejetos que vêm da residência, área industrial ou comercial através do sistema esgoto. O esgoto então é tratado em uma série de diferentes processos naturais.

O tanque séptico guarda os dejetos por tempo o suficiente para realizar a decantação. Este é o processo de separação do material sólido do material líquido dentro do tanque, feito completamente pela gravidade.

Os dejetos formam três camadas dentro do tanque. Os sólidos mais leves do que a água (como óleos) ficam acima da água, junto dos gases. Os sólidos mais pesados ficam no fundo do tanque, formando o lodo. Isso faz com que o meio seja constituído de água de esgoto “limpa”, pronta para ser devolvida para o meio ambiente.

A água continua o caminho até o sumidouro. Lá, ela é filtrada por camadas de cascalhos e pedras que formam um filtro natural. Após a filtração a água é lentamente devolvida para o meio ambiente através de conexões diretas com o solo. O sumidouro é uma peça muito importante para o bom funcionamento da fossa;

As camadas de lodo e escuma continuam dentro da fossa séptica. Estes materiais sólidos serão tratados de forma natural por bactérias anaeróbicas encontradas naturalmente dentro da fossa.

Estas bactérias são responsáveis por quebrar os dejetos sólidos e neutralizar a nocividade da maioria dos gases. O lodo e a escuma que não são quebrados pelas bactérias precisam ser retirados manualmente, é aí que entra a o serviço de lima fossa em Vargem Grande Paulista.

Limpa fossa em Vargem Grande Paulista – Como é feita

O serviço de Limpa Fossa oferecido pela Esgotecnica é o melhor de São Paulo e região, garantindo sempre os melhores resultados e a satisfação de nossos clientes.

Com uma frota própria de caminhões preparados, estamos prontos para atender com agilidade e eficiência todas as regiões da Grande São Paulo.

Ao entrar em contato com a nossa equipe, enviaremos um técnico para efetuar a limpeza da fossa. A limpeza é feita em alguns passos. Confira:

  • Primeiro a fossa tem as válvulas de escape e a tampa abertas por alguns minutos. Este procedimento garante que os gases escapem e que não haja nenhum acidente durante a limpeza.
  • A limpeza do lodo e da escuma restante são feitos com uma mangueira de sucção a vácuo acoplada no equipamento do caminhão. Todo o material sólido é sugado para dentro do container do caminhão. Cerca de 10% do material é deixado dentro da fossa para não cortar o processo de vez.
  • O material é levado para um aterro sanitário regulamento e que esteja preparado para receber estes materiais.

Assim, rápido, fácil e com muita segurança, que nós da Esgotecnica realizamos o trabalho de limpa fossa em Vargem Grande. Com uma equipe treinada e equipamentos modernos e preparados, oferecemos um serviço de alto padrão e de muita qualidade.

Por que a limpeza de fossa é tão importante

A limpeza da fossa é fundamental para o bom funcionamento do sistema. O primeiro ponto importante é que a fossa transbordará caso não seja limpa. Isso é óbvio, porém, não é qualquer pessoa pode limpar a fossa.

Este é um serviço que deve sempre ser realizado por uma empresa profissional. Lembra das bactérias que quebram os dejetos sólidos? Elas são delicadas e podem perder eficiência e até morrerem se forem expostas a produtos não adequados.

Não apenas isso, mas em trabalhos mau-executados, é possível que haja danos na estrutura da fossa, dando bastante prejuízo e prejudicando o tanque.

Outro fator importante é que empresas legalizadas jogarão os dejetos apenas em locais adequados, sem prejudicar o meio ambiente ou causar a contaminação de recursos naturais.

Por isso, quando for a hora de realizar a limpeza da fossa, faça um orçamento com a Esgotecnica! Nosso atendimento em Vargem Grande Paulista garantirá que o tanque séptico da sua residência, empresa ou indústria seja limpo da maneira correta e com todos os procedimentos necessários.

Confie em quem já atua na área há 2 décadas. Não deixe a segurança do seu patrimônio e da sua família em risco! Contrate quem entende do assunto.