Limpeza de fossa e caixa de gordura: quando fazer

A caixa de gordura e a fossa são dois itens necessários e obrigatórios em qualquer residência. Estes dois itens são de extrema importância para garantir a saúde de todos os moradores da residência, além, é claro, de ser importante para preservar o meio ambiente e a fauna do local onde vivemos.

Para que estas estruturas funcionem de forma correta é preciso que seja feito a manutenção necessária e preventiva. A principal manutenção preventiva para a fossa e a caixa de gordura é a limpeza correta.

Quando realizar a limpeza da caixa de gordura

Muita gente deixa para limpar a caixa de gordura apenas quando ela já está entupida. Esta é uma atitude perigosa e que deve ser sempre evitada, afinal, quando a caixa chega a entupir, é possível que haja danos em sua estrutura.

Alguns sinais da caixa de gordura entupida são:

  • Escoamento lento da pia;
  • Ralo da pia borbulhando durante o escoamento;
  • Mau cheiro proveniente do ralo da pia;
  • Água transbordando pela tampa da caixa de gordura.

Estes são sinais claros de que a caixa de gordura precisa de uma limpeza. Geralmente o desentupimento é resolvido assim que a caixa é limpada de maneira correta, nada do que se preocupar muito. Mas ainda assim, é altamente recomendável não deixar isso acontecer.

A periodicidade da limpeza da caixa de gordura pode variar de acordo com o a intensidade de uso e do tipo de descarte que é feito pela pia. Locais onde o uso de gordura e óleo é constante, exigiram uma limpeza mais constante.

É preciso sempre verificar como está a situação da caixa e limpar de acordo com a necessidade. Verificar se a caixa está suja hoje em dia é bem fácil, basta levantar a tampa e analisar o conteúdo.

As caixas modernas são desenhadas para facilitar este tipo de operação e garantir um tempo e vida útil maior.

De forma geral, é possível estimar que a limpeza da caixa de gordura precise ser feita com a seguinte periodicidade:

  • De 6 em 6 meses para as caixas localizadas em residências comuns;
  • De 3 em 3 meses para caixas de gordura de apartamentos;
  • De 1 em 1 mês em bares e restaurantes de pequeno porte ou pousadas e albergues;
  • No caso de grandes restaurantes, ou restaurantes com comida tipicamente gordurosa (cadeias de fast food) é necessário que a limpeza seja realizada de uma em uma semana, dependendo da robustez do sistema de coleta de gordura.

Claro que está não é uma regra estrita, mas ainda assim serve para nortear quem quer garantir que suas caixas de gordura funcionem de forma adequada.

Quando limpar a fossa séptica

A fossa séptica é tão sensível e importante quanto a caixa de gordura. Porém, a fossa lida com um tipo de dejeto bem mais perigoso que a caixa de gordura, portanto a atenção na limpeza deve ser redobrada.

A fossa séptica é responsável por tratar todo o esgoto que sai de uma residência. Ela é geralmente usada em casas afastadas da zona urbana, ou então em zona rural.  Para quem depende do bom funcionamento da fossa, não garantir que ela funcione corretamente pode ser um erro gravíssimo, podendo até mesmo causar danos à saúde dos moradores.

Ao contrário da caixa de gordura, a limpeza da fossa é mais complexa e não pode ser feita de qualquer maneira. Além do risco de contaminação dos residentes, da própria fossa e do meio ambiente, a maioria dos estados possui leis que devem ser seguidas à risca para evitar uma multa pesada.

Portanto, a limpeza de uma fossa deve ser sempre realizada com a ajuda de um profissional de limpa fossa. Para saber a necessidade e periodicidade de limpeza, assim como realizar o serviço, conte sempre com uma empresa especializada.

Por ser uma estrutura sensível e que qualquer erro pode prejudicar o seu funcionamento correto, a fossa precisa ser sempre limpa com todo o cuidado e com as melhores técnicas disponíveis no mercado.

Também é importante que a empresa contratada seja de confiança e tenha todos os certificados exigidos pelos órgãos fiscalizadores deste tipo de atividade (Sabesp, Cetesb, etc).

Realizar a limpeza da fossa com uma empresa que respeita todas as leis e práticas do segmento é apostar em uma empresa que está preocupada em garantir a sua segurança e de todos os seus familiares.

Quer saber mais sobre a limpeza da sua caixa de gordura ou fossa séptica? Entre em contato com a Esgotecnica e conheça nosso serviço de Limpa Fossa, garantimos o melhor resultado final.

A nossa empresa conta com todos os certificados necessários para atuar nesta área, além de sempre descartar os dejetos em local legalizado, nunca agredindo a natureza.

A Esgotecnica se preocupa com todos os seus clientes, por isso trabalhamos arduamente para garantir a satisfação total de todos.

Não passe raiva, conheça a Esgotecnica.

Empresas de limpeza de fossa séptica: o que diz a legislação

Os efluentes oriundos da limpeza de fossa séptica são extremamente prejudiciais ao meio ambiente, as pessoas e a sociedade;

Apesar do nome parecer simples os “efluentes domésticos” são tão perigosos para a sociedade e para a natureza quanto os efluentes industriais.

Eles são químicos perigosos como qualquer outro descarte e devem ser feitos de forma adequada para evitar qualquer tipo de risco a saúde.

As fossas sépticas devem ser construídas com base na norma NBR 8160 que diz:

“Esta Norma estabelece as exigências e recomendações relativas ao projeto, execução, ensaio e manutenção dos sistemas prediais, de esgoto sanitário, para atenderem às exigências mínimas quanto á higiene, segurança e conforto dos usuários, tendo em vista a qualidade destes sistemas. ”

Porém, além da norma ser rígida e clara para a construção e utilização dessas fossas, existem outras que determina a limpeza e manutenção delas.

As limpezas e manutenções realizadas pelas empresas de limpeza de fossa séptica são regradas pelas normas NBR 7229 e NBR 13969.

Que determinam a maneira correta de ser realizado a limpeza e principalmente o descarte desses produtos.

Essas normas são criadas para diminuir o máximo possível o impacto que o descarte de efluentes tem sobre o meio ambiente.

Empresas de limpeza de fossas sépticas: Como elas devem agir?

A limpeza de fossas sépticas deve seguir diretrizes importantes e elas são:

  • Impedir perigo de poluição de mananciais destinados ao abastecimento domiciliário;
  • Impedir alteração das condições de vida aquática nas águas receptaras;
  • Não prejudicar as condições de balneabilidade de praias e outros locais de recreio e esporte; e
  • Impedir perigo de poluição de águas subterrâneas, de águas localizadas (lagos ou lagoas), de cursos d’água que atravessem núcleos de população, ou de águas utilizadas na dessedentação de rebanhos e na horticultura, além dos limites permissíveis, a critério do órgão local responsável pela Saúde Pública.

Ou seja, a limpeza e descarte de efluentes nunca deve ser feito de qualquer maneira e sem precauções.

Também existem regras sobre os EPI (Equipamento de Proteção Individual), sobre o método de transporte e sobre o treinamento do funcionário.

Tudo isso para proteger você, o meio ambiente, os funcionários e a empresa.

Como é a limpeza, transporte e descarte de efluentes domésticos pelas empresas de limpeza de fossa séptica

Todas as empresas de esgotamento de fossa séptica que realizam serviços na rede de esgoto, incluindo a fossa séptica e a caixa de gordura, devem seguir as normas sobre o uso de equipamentos de proteção.

Já a limpeza propriamente dita é geralmente feita por caminhões especializados para o serviço.

Esses caminhões de sucção possuem toda a tecnologia necessária para “sugar” toda a sujeira de dentro da fossa e transportá-la sem deixar nada vazar e sem prejudicar a estrutura da fossa.

O caminhão possui uma bomba de autovácuo que não deixa nenhum resíduo e faz a limpeza se a necessidade de contato com os efluentes. Protegendo assim os funcionários da empresa e evitando possíveis acidentes.

Depois os resíduos devem ser transportados para receber um tratamento adequado antes de ser descartado.

O tratamento é o off-site, ou seja, realizado em uma ETE – Estação de Tratamento de Efluentes.

Entre todos os métodos de tratamento (que incluem até mesmo incineração) O mais recomendado é o “biológico aeróbio”, cujo principal componente são lagoas de aeração com difusores de membrana, que garantem o tratamento completo dos efluentes.

Após esse tratamento os efluentes podem ser devolvidos para a natureza em locais de descarte.

Esses locais tão bem fiscalizados constantemente e possui suas legislações próprias. Novamente, tudo para proteger a sociedade e o meio ambiente.

Procure sempre uma empresa de limpeza de fossa séptica de confiança e autorizada a realizar o trabalho

Seguir essas normas e andar de forma correta com a legislação não é nada fácil.

É necessário um acompanhamento das mudanças das leis, atualização constante dos funcionários e de equipamento.

São procedimentos complexos e algumas vezes até caros.

Por isso se deve confiar apenas em empresas que já possuem tempo de experiência e todas as certificações necessárias.

Empresas que oferecem preço muito baixo podem até estar por aí, mas muitas vezes acabamos pagando um preço muito mais caro por confiar em empresas que não comprem a lei como deveria.

Para ter a certeza de que a limpeza da sua fossa vai ser realizada da melhor maneira possível conte com a Esgotecnica.

Possuímos funcionários altamente treinados nas mais seguras técnicas para limpeza de fossas sépticas.

Também contamos com uma frota de caminhões de sucção ideais para qualquer tipo de limpeza, sem danificar a fossa e sem prejudicar o meio ambiente.

Não passe raiva, confie na Esgotecnica!

Qual a periodicidade correta para limpeza de fossa séptica?

fossa

Os avanços das grandes cidades e do saneamento das casas levou o sistema de esgoto a muitos lares e empresas nos últimos anos, mas é comum que em muitos locais ainda existam fossa séptica. E nesses casos, é bom ficar de olho na sua manutenção. A limpeza á importante para o bom funcionamento e para a preservação do imóvel.

Uma das maiores dúvidas das pessoas sobre o assunto é quanto à periodicidade da limpeza de fossas sépticas. Essa manutenção depende de diferentes fatores, como o tamanho do reservatório, o número de pessoas que utilizam a casa, a quantidade de água liberada, entre outros pontos relacionados ao uso.

Porém, você precisa fazer a limpeza da fossa séptica pelo menos uma vez por ano para que ela tenha um melhor funcionamento de todo o seu sistema.

Como é feita a limpeza da fossa séptica

Cada fossa tem um padrão específico de limpeza, mas, no geral, a proposta da limpeza é retirar o lodo existente no fundo da fossa séptica.

Para isso, o primeiro passo é retirar a tampa e deixar aberta por um tempo. É essencial que deixe respirar porque muitos gases ficam presos dentro da fossa séptica e podem ser perigosos à saúde.

Depois disso, os resíduos serão retirados com a mangueira de sucção para um espaço equipado para receber efluentes, normalmente os caminhões preparados para o serviço. Esse material deve ser transportado por uma equipe especializada e receber o devido tratamento.

Não se espante se ainda ficar um lodo no fundo da fossa séptica. O ideal é deixar cerca de 10% do material lá dentro para que o tratamento dos efluentes não seja interrompido.

O funcionamento da fossa

Conhecer o funcionamento da fossa séptica é essencial para entender a sua necessidade de manutenção e a periodicidade de limpeza. Antes de tudo, é preciso entender que ela é uma estação de tratamento primária dos efluentes. Isso significa que a fossa séptica faz a divisão dos resíduos sólidos do esgoto.

Ela retém o esgoto da casa em um compartimento. Durante essa retenção, o material sólido sedimenta-se no fundo da fossa, formando o lodo, enquanto a parte líquida permanece acima dessas substâncias.

Após isso, as boas bactérias, ou bactérias anaeróbicas, trabalham para anular a ação de micro-organismos que podem transmitir doenças. Esse processo reduz os resíduos sólidos, líquidos e estabiliza a ação dos gases, permitindo que os líquidos retornem com maior segurança para o meio ambiente.

O lodo que fica no fundo da fossa séptica é o material sólido que não pôde ser decomposto durante esse processo. O seu retorno para o ambiente pode causar danos e a exposição aos humanos traz doenças. Por isso que a manutenção e limpeza da fossa são tão importantes.

Bueiro entupido – O que fazer para evitar e como resolver

imageVocê sabia que o descarte irregular de lixo é um das principais causas do bueiro entupido? Mas ele não é responsável por este transtorno sozinho. Existem muitas atitudes que podem ser tomadas nas nossas vidas para evitar este problema e viver com muito mais tranquilidade, sem ficar expostos aos riscos de um bueiro entupido.

Pensando nisso, nós separamos muitas dicas de como evitar o entupimento dos bueiros e galerias pluviais. E também ensinamos o que fazer caso sofra com bueiros entupidos perto da sua casa.

Como evitar o entupimento no bueiro?
Evitar o entupimento nos bueiros é uma tarefa simples, mas que depende de todo o coletivo. Porém, essa mudança de comportamento pode melhorar infinitas vezes a qualidade de vida de toda a população e expor todos os moradores da comunidade. Uma atitude pequena, mas de grande impacto.

Para ter ideia de como é uma simples mudança de hábito, o maior causador de entupimentos em bueiros e bocas de lobo é o descarte irregular de lixo. Os objetos que jogamos na rua são responsáveis pela maioria dos entupimentos e alagamentos. As enchentes, por exemplo, são causadas pelo excesso de lixo que impede o escoamento da água pelas galerias e transbordam pelas ruas.

Educar as crianças dese cedo sobre jogar lixo nas ruas é uma tarefa que pode resolver maior parte dos problemas com entupimento nos bueiros. Essa é uma alternativa simples e que traz ótimos resultados a médio e longo prazo.

Mas, falando a curto prazo, é possível instalar lixeiras para evitar que cachorros e outros bichos revirem o lixo em busca de comida. Uma atitude fácil que pode fazer a diferença, principalmente se existem muitos animais de rua na região em que mora.

Os jardins caseiros também são ótimas soluções a curto prazo. Eles ajudam a diminuir o fluxo de água das chuvas que escoam para os bueiros. Esse é mais um dos motivos para o verde ser importante nas cidades.

Outro ponto para a preservação do funcionamento dos bueiros é a instalação do sistema de escoamento e esgoto das casas. As ligações erradas, como esgoto ligado nas galeras pluviais, e o contrário também, aumentam as chances de entupimento nos bueiros.

Como resolver o bueiro entupido?
O bueiro é uma parte do sistema de esgoto que está do lado de fora das casas. Portanto, a responsabilidade por eles é da companhia de saneamento básico. Em São Paulo, por exemplo, é a Sabesp.

Quando tiver problemas com bueiro entupido, deve reportar à companhia para que ela resolva o problema dentro do prazo mais rápido possível. Se a solicitação não for atendida, os moradores podem recorrer legalmente na justiça.

Você sabia que para realizar o serviço de limpeza de fossa a CETESB precisa autorizar?

cetesbVocê já ouviu falar na licença ambiental da CETESB? Sabia que ela é obrigatória para empresas que prestam serviço de limpeza de fossa? Poucas pessoas sabem disso, mas é importante prestar atenção nos certificado e licenças na hora de contratar serviços para sua casa, condomínio ou empresa. Principalmente quando as empresas trabalham com serviços nocivos à saúde, como a limpeza de fossa.

Trabalhar com efluentes, como os resíduos retirados das fossas, é uma grande responsabilidade. Eles estão cheios de bactérias e doenças. Por isso, precisam receber a destinação e tratamento correto. Caso contrário, esses efluentes podem trazer grandes problemas ao meio ambiente e à saúde da população.

Sabendo disso, é importante garantir que a empresa que contratar pra fazer a limpeza de fossa tenha todas as licenças pra atuar, entre elas a da CETESB.

O que é a CETESB?

CETESB é uma sigla para Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Este é o órgão do governo responsável por verificar se as empresas estão respeitando o papel ambiental e não fazem o descarte de resíduos nocivos à saúde de forma errada. Cada estado tem o seu órgão fiscalizador. Em São Paulo, é a CETESB quem emite essa licença de serviço. As empresas que não respeitam as normas ambientais não conseguem o certificado da CETESB.

Esse é um ponto sério na limpeza de fossa. Como explicamos antes, a limpeza de fossa é um serviço que trabalha com efluentes nocivos à saúde. Caso a empresa não tenha a licença da Companhia Ambiental, é sinônimo de que não respeita à legislação.

Ao contratar uma empresa sem certificado da CETESB para fazer a limpeza da fossa, você coloca em risco a vida de toda a sua família e das pessoas que convivem em um grande raio de distância da sua casa ou empresa.

Certificação é sinônimo de garantia!

Os certificados e licenças, sendo obrigatórios ou não, são sinônimo de responsabilidade e confiança das empresas com seus clientes. Além disso, também mostram seus valores, como o respeito ao meio ambiente e à sociedade.

Quando contratar empresas, principalmente para trabalhos que podem colocar toda a população em risco, peça todos os certificados e licenças para garantir que ela tenha a responsabilidade para trabalhar com efluentes.

Entre as licenças obrigatórias para as empresas do setor de prestação de serviço, estão: Sabesp, Conselho Regional de Química (quando trabalham com produtos químicos, como dedetização), Centro de Vigilância Sanitária, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Companhia Ambiental do Estado (Em São Paulo, a CETESB).

As empresas que apresentam essas licenças para seus clientes, mostram que estão operando dentro das legislações e têm responsabilidade social, ambiental e, acima de tudo, compromisso com seus clientes.

Fossa séptica melhora a qualidade de vida e ajuda na preservação

Tecnologia simples muda a relação da agricultura com o meio ambiente. Zona rural do Rio de Janeiro têm dois modelos implantados.

Uma tecnologia simples e antiga está mudando a relação do agricultor com o meio ambiente, na zona rural do estado do Rio de Janeiro.

Foi só dar atenção ao tratamento do esgoto doméstico que as pessoas passaram a se sentir até mais felizes ao receber uma visita em casa. É o que vem sendo notado a partir do momento que a propriedade ganha uma fossa séptica.

A Região Serrana do Rio de Janeiro é um lugar de paisagem exuberante, água à vontade e que guarda boa parte da história imperial do nosso país.

Petrópolis tem hoje um dos mais altos índices de tratamento de esgoto do Brasil. O saneamento atinge 80% da população da cidade e uma das estações funciona bem embaixo de um belo jardim.

“O tratamento aqui é um tratamento totalmente biológico, são as bactérias presentes na composição do próprio esgoto que fazem esse tratamento. A qualidade é ambiental, a água não tem qualidade potável. A estação de tratamento é de esgoto, então a qualidade é para entregar ao meu maior cliente, que é o Rio Piabanha”, explica Edson Soares, engenheiro químico, coordenador de operação de esgoto da Águas do Imperador.

Para ser agradável a todos, a concessionária Águas do Imperador, em parceria com a Prefeitura de Petrópolis e a Emater, vem levando esse tipo de tratamento de esgoto também para o campo.

No bairro rural do Bonfim, Marco Antônio Coelho, presidente da associação dos Produtores diz que, até agora, 27 famílias da comunidade receberam a fossa séptica em suas casas e destaca a importância dessa tecnologia para o meio ambiente.

Quantas vezes você escuta o barulho da descarga aí na sua casa? O gesto é tão corriqueiro que a gente nem se dá conta do destino de uma descarga. Na zona rural, na grande maioria das vezes, o que sai do vaso sanitário vai parar no sumidouro, também conhecido como fossa negra, e o sumidouro nada mais é do que um buraco na terra, sem tratamento e que permite a penetração do dejeto direto no solo.

Ailton da Ponte, agricultor de hortaliça orgânica, está prestes a receber uma fossa séptica na sua propriedade.

Para ajudar na instalação da nova fossa, Ailton chamou o irmão, o filho e também alguns vizinhos. Como as peças vieram pré-fabricadas, o trabalho do agricultor é montar, encaixando os anéis de concreto e ajustando as manilhas.

Paulo Agnaga é diretor de Desenvolvimento Rural da Secretaria de Agricultura de Petrópolis. Segundo ele, o município tem 700 famílias na área rural e o desafio é levar a fossa séptica para todo mundo. “A gente espera talvez em cinco, seis anos conseguir chegar nessa meta. Hoje, saneamento não é uma despesa é um investimento social”, diz.

Cada fossa séptica, desse modelo adotado em Petrópolis, sai por volta de R$ 600 só de material, que é custeado pela prefeitura e pela Águas do Imperador. Em contrapartida, o produtor se responsabiliza pela instalação e pelos itens de acabamento.

Nesse tipo de fossa séptica só entra o material que vem do vaso sanitário. Água de pia e de ralo tem que seguir por outro caminho, devido a presença de detergente e sabão, que matam os microorganismos necessários para a decomposição do esgoto.

O bairro rural do Bonfim tem 75 propriedades de onde saem aproximadamente 34 toneladas de hortaliças por mês e a chegada do saneamento em cada uma dessas casas vai ajudar na preservação do cenário que é de encher os olhos.

A paisagem faz parte do Parque Nacional da Serra do Órgãos, um dos cartões postais da Região Serrana do Rio.

Na visita, será possível degustar os doces artesanais das irmãs Luciana e Andrea Coelho, conhecidas pelos biscoitos amanteigados, pelo doce de batata roxa e pelas cocadas. As receitas que aprenderam com a mãe só fazem sucesso porque as duas não descuidam da higiene.

Está fazendo pouco mais de um ano que a fossa séptica foi construída na propriedade da família da Luciana. Ela está localizada a uns 20 metros de distância da agroindústria e a uns 15 metros do banheiro da casa, que atende 10 pessoas. A instalação foi feita na parte de baixo do terreno para aproveitar o desnível.

“Agora, a gente pode ‘estar expondo’ mais os produtos sem medo porque a gente está de acordo com a legislação ambiental até com a higiene da fábrica, então para a gente foi uma mudança muito boa, muito legal”, diz Luciana.

Saindo de Petrópolis, o destino agora é Santa Maria Madalena, terra de uma das atrizes mais irreverentes que o Brasil já teve, Derci Gonçalves, que tem até estátua na praça central e um túmulo em forma de pirâmide.

Serviços de limpa fossa

Fonte: G1

Moradores de Alter do Chão propõem ‘fossas de bananeiras’ em banheiros

Ideia é construir as fossas no banheiro público da vila balneária. Água suja despejada seria evaporada pelas folhas das plantas.

Moradores, o Conselho Comunitário e organizações civis de Alter do Chão se uniram para criar e apresentar um projeto de fossas ecológicas ao poder público de Santarém, oeste do Pará. A inciativa se deu após a descoberta de coliformes fecais em alguns pontos da água e casos de hepatite A na vila balneária.

Denominado de fossa de bananeiras, o equipamento seria construído nos banheiros públicos da Praça 7 de Setembro, na orla de Alter do Chão, para atender a demanda de turistas e moradores que utilizam o local. A fossa seria formada por um tanque de vapotranspiração (TEvap), em um canteiro lacrado pelos quatro lados (paredes e fundo) com um tubo de forma de pirâmide, feito de tijolos furados. Por cima, as árvores seriam plantadas sobre camadas de materiais porosos, cascas de coco que servirão como âncora para raízes das plantas, e mais 20 cm de terra preta (veja imagem ao lado). Dessa forma, a descarga dos banheiros despejaria a água suja dentro do tubo vedado e as bananeiras sugariam o líquido que evaporaria pelas folhas.

Esse sistema de fossas utilizando o tanque de Vapotranspiração surgiu nos Estados Unidos e é utilizado em vários locais do Brasil e em outros países. A ideia foi apresentada, inclusive, pelo arquiteto Marcelo Rosenbaum no quadro “Lar Doce Lar”, do programa Caldeirão do Huck, em julho de 2010. Na ocasião, a equipe de reforma instalou as fossas de bananeiras para o tratamento da água na casa da família Silva, de Belford Roxo (RJ).

De acordo com Indios Brasil, um dos moradores que organizou o projeto, as fossas já são uma realidade em pelo menos sete casas em Alter do Chão. Ele explica que a ideia já foi apresentada ao governo municipal e ao Ministério Público (MP) e pede o apoio para que o sistema possa ser construído. “A gente sabe que existem muitos problemas a serem resolvidos na vila, mas acreditamos que as fossas ecológicas podem ser um começo. Na orla, as fossas acabam entupindo, sobretudo no período de enchente, e poluem os lençóis freáticos. Hoje em dia, a fossa do banheiro está lotada e precisa de reformas, então criamos esse projeto e entregamos nas mãos dos Secretários de Infraestrutura e Meio Ambiente, além do MP. Temos pessoas qualificadas para fazer esses sistemas e queremos que o poder público seja nosso parceiro nessa iniciativa que surgiu da comunidade”, explica.

O projeto compreende a construção de duas fossas em frente aos banheiros públicos. Uma teria dois metros de profundidade, dois metros de largura e sete de comprimento. A segunda seria menor, com as mesmas medições de profundidade e largura, mas seis metros de comprimento. A ideia seria que a fossa pudesse atender o fluxo de 70 pessoas por dia. O objetivo dos criadores do projeto é de que a própria população da vila formasse um mutirão para ajudar nas obras, que deveriam ser concluídas em apenas dez dias. O orçamento é um pouco mais de R$ 4.500 para a compra dos materiais utilizados, e R$ 760 para o aluguel da retroescavadeira e o pagamento de alimentação para os trabalhadores.

O secretário municipal de Infraestrutura de Santarém, Edilson Pimentel, confirma que assistiu à apresentação do projeto, mas espera uma reunião com os criadores da ideia para discutirem a viabilidade da construção e utilização das fossas de bananeiras. “Nós tivemos uma reunião na Câmara onde foi feita uma apresentação desse projeto, mas foram as únicas informações que tive até o momento. Tenho alguns questionamentos sobre o assunto e marquei com o representante do projeto para que pudéssemos reunir e analisar mais profundamente e tecnicamente essa ideia”.

Na sexta-feira passada (6), os moradores aproveitaram o aniversário da vila balneária para apresentar o projeto aos comunitários e turistas. Além das fossas, o projeto também compreende a implantação de um mural na orla de Alter do Chão, explicando o passo a passo da construção do equipamento ecológico. “A ideia é ir além do banheiro público de Alter do Chão, queremos mostrar que é fácil, simples e economicamente viável para as pessoas fazerem. Então criando um informativo na praça, geraríamos informação para que a comunidade possa aderir a esse movimento”, conclui o morador Indios Brasil.

Serviço de limpeza de fossa

Fonte: G1

Líquido da fossa séptica é excelente adubo urbano

Você sabia que mais da metade da população brasileira não tem acesso à rede de esgoto? Na maioria destes lugares, os moradores precisam utilizar as fossas sépticas ou fossas secas, mas o que poucas pessoas sabem é que a primeira opção é produtora de um excelente adubo natural.

Algumas fossas sépticas, as chamadas biodigestoras, além de proteger a região em que está instalada e preservar os lençóis freáticos, são excelentes formas de ter adubo orgânico e água para uso indireto, como lavar quintal.

Essas fossas funcionam um pouco diferente das tradicionais. Elas são compostas por três caixas d’água. Na primeira, é depositado todo os dejetos do imóvel. Ele faz a fermentação e elimina boa parte dos responsáveis por doenças.

Conforme a caixa enche, o líquido é transferido para a segunda, onde continua o processo de fermentação e remove o restante das bactérias e microorganismos responsáveis por doenças e poluição.

Como na fase anterior, esta caixa também enche até depositar o líquido na seguinte. Quando chega na terceira fase, a água já está limpa e pronta para ser utilizada. Vale lembrar que não para uso direto.

Em muitas regiões agrícolas, essa água é utilizada para regar plantações. Com vários nutrientes, ela se torna um excelente adubo natural e diminui os gastos com adubos químicos.

Uma alternativa para quem têm plantações e usa fossas biodigestivas é criar um sistema de irrigação subterrâneo automático. Assim, é muito mais prático utilizar todos estes nutrientes.

O lodo da fossa séptica

É normal algumas pessoas associarem o lodo da fossa séptica aos adubos orgânicos. Um erro comum, mas muito prejudicial. O lodo que fica no fundo da fossa é, na verdade, todo o material que as bactérias não conseguiram decompor.

Ou seja, esse material não deve voltar a natureza. Ali, estão muitas partículas que podem prejudicar toda a plantação e até mesmo matar as plantas.

Além disso, existe o risco de saúde às pessoas que consumirem as hortaliças adubadas com este material. Por isso, se deseja usar a fossa séptica como fonte de adubo natural, instale uma estrutura biodigestiva para desfrutar o máximo deste potencial.

A importância da limpeza

Adubo Fossa BiodigestoraA limpeza da fossa séptica é essencial para a manutenção da rede interna de esgoto. Quando ela está cheia, podem acontecer vários danos à saúde e o ambiente. Um destes problemas é a poluição do solo, prejudicando bastante o ambiente.

Muitas famílias que têm fossa séptica em casa vivem da agricultura familiar. Com um solo poluído e com estas dificuldades promovidas pelo transbordo do lodo, é difícil exercer a profissão.

Além disto, existe um problema para quem deseja utilizar a água da fossa séptica para a adubação. Sem uma limpeza rotineira, o excesso de lodo pode ser passado até a última caixa, que seria utilizada para o adubo, e contamina todo o líquido.

Por isso, mantenha a manutenção de sua fossa séptica sempre em dia.

A importância da fossa séptica para a saúde pública

Pessoas saudáveisMuitas regiões do Brasil ainda não contam com uma rede de esgoto bem estruturada e, por isso, milhares de imóveis não estão conectados nestas redes. Sem contar as casas que estão em zonas rurais e não conta com sistema de esgoto. Isso pode gerar um grande problema de saúde pública causado pelos detritos lançados livremente no meio ambiente, mas a fossa séptica é um fator indispensável para evitar estes transtornos ambientais.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as fossas sépticas não são apenas uma forma de se manter o esgoto das residências embaixo da terra e onde não possam incomodar as pessoas. Apesar de seu uso ser bem antigo, elas são consideradas até hoje a melhor estação de tratamento de esgoto domiciliar que existe.

As fossas sépticas são muitas vezes confundidas com as fossas secas. A primeira é uma opção de tratamento do esgoto onde a água e os gases retornam para a natureza de forma saudável e limpa. Já a segunda é um buraco destinado para receber o esgoto. Por isso, o segundo costuma causar mal cheiro nas residências, problema que não acontece com as fossas sépticas.

A funcionalidade dessas fossas é simples e eficiente. Por isto é fácil ser implantada, ajudando a evitar colapsos na saúde e problemas ambientais que colocam em risco a existência da humanidade. Esses são alguns dos motivos para elas serem obrigatórias em residências que não são atendidas pelas redes de esgoto.

A importância da fossa séptica para a saúde pública é crucial. Muitas doenças são transmitida através da contaminação do ambiente em que vivemos e por isto é importante tratar bem toda a água que retorna para a natureza. Estima-se que seis mil crianças morrem por dia no mundo por consumirem água imprópria para consumo. Sem essas fossas, o número poderia sir muito alto também no Brasil.

Sem o uso de substância químicas, as estações de tratamento de esgoto caseiras usam apenas algumas regras básicas da biologia e ajudam a eliminar impurezas e substâncias tóxicas que voltariam para nossa terra, comida, água e ar.

Além do impacto direto que as estações caseiras de tratamento trazem para a saúde pública, elas também trabalham para manter o meio ambiente funcionando bem e preservando a vida do homem na Terra.

Entre as principais funções da fossa séptica está a não poluição dos mananciais. Os mangues são o berço de boa parte da vida animal de nosso País. Pássaros, peixes e répteis se reproduzem neste ambiente rico e cheio de vida. Sem um bom tratamento, estes locais já estariam todos destruídos causando um grande impacto ambiental em nossas vidas, destruindo boa parte dos nossos recursos naturais e nos obrigando a mudar todos os hábitos e cultura.

Outra coisa que é protegido através das fossas sépticas é a água potável. Estimasse que a maior parte da água potável do mundo está debaixo da terra. O Brasil é um país rico em recursos hídricos e conta com quase 12% de toda a água doce do mundo.

Se não fosse pelos sistemas de tratamento caseiros com as fossas sépticas e as redes de esgoto, os lençóis freáticos, nome dado aos lagos subterrâneos, já estariam completamente infectados e impróprios para o consumo. Ou seja, se já passamos por uma crise hídrica atualmente, imagina se não tivéssemos como recorrer a estes recursos.

A importância da fossa séptica para a saúde pública e meio ambiente é inimaginável. Sem elas, poderíamos viver em um grande colapso. Por isso, é importante mantê-la sempre com um bom funcionamento e fazendo limpeza para que todo o serviço das bactérias, de manter o meio ambiente limpo, não seja em vão.

E não se esqueça: Para limpeza de fossas e transporte de efluentes, conte com a Limpa Fossa.

Você sabia que pode adicionar bactérias a sua fossa séptica?

BactériasAs fossas sépticas estão cheias de bactérias e microrganismos trabalhando diariamente, seja para ou bem ou para o mal, e nem percebemos tudo isto acontecendo. Normalmente, a fossa só recebe atenção quando precisa de uma limpeza ou manutenção, mas você pode começar a cuidar da sua fossa adicionado bactérias boas que trarão um resultado muito melhor para o sistema de saneamento.

Sempre vem coisas ruins à mente quando falamos em bactérias, mas a verdade é que elas estão presentes em todos os cantos do mundo. Esses pequenos organismos têm um papel muito forte na grande cadeia que é o planeta Terra. Sua importância é totalmente oposta ao seu tamanho.

Entre todas as funções que as bactérias têm no meio ambiente está a decomposição de corpos e detritos. Elas quebram todos os resíduos presentes no sistema de esgoto e deixam a água limpa para retornarem ao meio ambiente.

O problema é que muitos produtos que usamos no dia a dia da rotina doméstica e de serviço destroem essa capacidade ao matar as bactérias que contribuem para a limpeza. Limpadores químicos no geral, como detergente e água sanitária, estão entre os principais responsáveis por essas mortes. Por isso, é muito aconselhável evitar o uso destes produtos. Os sabões naturais são melhores por permitirem a proliferação destas bactérias que auxiliam na decomposição de detritos no esgoto.

A vantagem é que você pode adicionar essas bactérias à fossa séptica de forma rápida e prática para auxiliar seu funcionamento.

Se perceber que a fossa está enchendo rapidamente, essa pode ser uma excelente solução para o problema. O mau cheiro dos ralos também pode ser resolvido com esses produtos que estão disponíveis no mercado.

O processo é bem simples: nos primeiros dias, você deverá despejar diariamente a quantia especificada pelo fabricante no ralo ou vaso sanitário. Passada uma semana, comece a aplicar a mesma quantia há cada quinze dias.

Dessa forma, você evita entupimentos causados pelo excesso de detritos na fossa séptica e também trabalha para a limpeza dos canos. É bem difícil consertar os problemas de entupimento quando eles atingem parte da tubulação da casa. Então, use as bactérias boas como alternativa para manutenção da fossa séptica.

Como funcionam as fossas sépticas?

A fossa séptica é a melhor forma de tratamento de esgoto caseiro que existe e não apenas um jeito de acumular os detritos embaixo do solo, como algumas pessoas pensam. Ela funciona de forma bem simples e prática, por isso é usada até hoje.

As fossas sépticas precisam das bactérias para funcionar. Os resíduos que vão parar na fossa servem de alimento para esses microrganismo. Por isso, muitas delas morrem com os produtos de limpeza. As bactérias transformam esses resíduos do esgoto em água potável e gases que retornam à natureza.

A pequena quantidade de lodo que fica no fundo da fossa séptica é de materiais não orgânicos que não podem ser decompostos por elas.

Por esse motivo que você está contribuindo para o bom funcionamento e melhor tratamento da água ao adicionar bactérias boas na fossa séptica.

Para limpeza de fossa e transporte de efluentes, chame a Limpa Fossa.